Centenário de nascimento de Adolpho de Oliveira Franco

O dia de hoje (12/11/2015) assinala o centenário de nascimento de Adolpho de Oliveira Franco (foto), destacado homem público e líder empresarial que dedicou sua vida a serviço do Paraná. A trajetória dele é rica e surpreendente. Simpatizante socialista (década de 1930) como estudante de Direito no Rio de Janeiro, entrou para a União Democrática Nacional (UDN) nos anos 1940 e tornou-se banqueiro, na década de 1950, ao assumir a presidência do Banco Comercial do Paraná S/A (Bancial).

Foi governador do Paraná (1955-1956) e senador pelo Paraná (1963-1971). Presidiu a seccional paranaense da Ordem dos Advogados do Brasil (1952-1954), foi professor na Faculdade de Direito de Curitiba (1952-1954), advogado da Caixa Econômica Federal e dirigiu a Carteira de Crédito Agrícola e Industrial do Banco do Brasil (1954-1955). Presidiu a UDN paranaense (1963-1965) e quase chegou à presidência nacional do partido, em 1965.

Como governador, introduziu o planejamento público no Paraná, criando o Plano de Desenvolvimento Econômico (Pladep), modernizou o ensino com a reestruturação do magistério e a criação da primeira faculdade de Londrina (Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras), valorizou o funcionalismo estadual ao regulamentar a classificação de cargos, iniciou a política de reflorestamento, abriu parques estaduais e criou a polícia florestal. Deu prioridade à construção da Estrada de Ferro Central do Paraná, inaugurando o seu primeiro trecho, entre Apucarana e Marilândia do Sul. Levou o asfalto para o Norte do Paraná, entregando completamente pavimentado o trecho de 60 quilômetros entre Ibiporã e Apucarana.

Senador, marcou posição contra o confisco cambial sobre o café, medida instituída em 1953 e extinta 31 anos depois. Protestou em diversas ocasiões contra a intenção do governo federal de anular o direito de propriedade de 1 milhão de paranaenses na faixa de fronteira. E ocupou a tribuna do Senado Federal, repetidas vezes, para denunciar desmandos na Petrobras.

Dedicou-se, sem alarde, a garantir o livre exercício profissional dos colegas advogados diante da truculência dos tempos de exceção que marcaram a vida brasileira. Liberal, defendeu a livre iniciativa, mas também a intervenção estatal como forma de evitar abusos. Tinha especial admiração por dois intelectuais paranaenses: o primo Manoel de Oliveira FrancSobrinho e o governador Bento Munhoz da Rocha Netto – donos, segundo ele, de rara e privilegiada inteligência e cultura.

Adolpho de Oliveira Franco nasceu em Ponta Grossa (PR), a 12 de novembro de 1915, filho de João de Oliveira Franco e Hilda Faro de Oliveira Franco. Casou-se, em 1940, com Rosa Macedo de Oliveira Franco. O casal teve cinco filhos. Adolpho faleceu em Curitiba no dia 8 de marco de 2008.

 

 

.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *