BRDE e o recorde

Por Walter Schmidt – Só alegria na sede paranaense do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE). A instituição superou a marca de R$ 1 bilhão em contratações de crédito no Paraná em 2020. E não custa lembrar que o ano passado, com a crise do novo coronavírus, foi cheio de percalços.

O montante de janeiro até dezembro chegou a R$ 1,15 bilhão distribuídos em exatos 1.000 contratos. Se comparado a 2019, houve um crescimento de 41% no total contratado. Em toda a Região Sul do País, o total atinge R$ 3,16 bilhões (34% maior se comparado a 2019).

Como explica o diretor de Operações , Wilson Bley Lipski, para fazer frente aos desafios decorrentes da pandemia, o BRDE reagiu rapidamente criando o Programa Recupera Sul, disponibilizando uma linha emergencial de capital de giro de longo prazo, da qual R$ 317 milhões foram aplicados só no Estado do Paraná. Mantendo seu compromisso com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, o BRDE financiou, em 2020, R$ 336 milhões em projetos voltados para produção e consumo sustentáveis.

A importância do BRDE para a economia da Região Sul também fica clara pela capilaridade do crédito ofertado. Como diz Wilson Bley, do número total de contratos, 34% foram celebrados com micro e pequenas empresas do Paraná.

O número elevado de novas operações também refletiu na geração de empregos. No Estado, o banco ajudou a manter 85 mil empregos.

Além disso, o BRDE inovou ao equalizar juros do Plano Safra diretamente no Ministério da Agricultura, ampliando a possibilidade de atendimento aos agricultores e cooperativas.

Merece destaque ainda a prorrogação de prazo concedida aos contratos vigentes na agência do BRDE no Paraná, totalizando R$ 1 bilhão em operações renegociadas, correspondentes a 82% da carteira.

Motivos não faltam para saudar o bom desempenho do banco.

(Transcrito do Diário Indústria & Comércio, de Curitiba, de 16.2.2021).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *