Os quatro candidatos

Por Walter Schmidt – Acabamos de sair de uma eleição e já começam a falar da próxima? No campo político, nada mais natural. Afinal, a eleição é o coroamento da política, assim como o gol é o do futebol. Agora, no plano local, o que vale é a corrida ao Palácio Iguaçu. O pleito em si demora um pouco, mas as conversas, os preparativos, os conchavos e os balões de ensaio estão acontecendo. Nos bastidores e fora deles.

Um dos candidatos é o próprio governador Ratinho Junior (PSD). É postulante natural – todo governador de primeiro mandato busca a reeleição. Dizem até que os primeiros quatro anos de um governo são exatamente o período de preparação para a busca de um segundo mandato. Ratinho Junior não para de percorrer o Estado, aposta na Ponte de Guaratuba e na notável ajuda da Itaipu Binacional no financiamento de obras na região Oeste. Itaipu paga, o Paraná constrói.

Outro candidato é o ex-governador e ex-senador Roberto Requião (MDB). Colocou o nome na vitrine e tem feito críticas à atual administração, coisa, aliás, bem ao seu estilo. Vai aproveitar eventual frustração com os preços do novo pedágio.

Como todo prefeito da capital, Rafael Greca (DEM) é candidato em potencial a atravessar a praça do Centro Cívico para trocar de palácio. Greca venceu fácil a eleição de 2020, é nome forte em Curitiba e na região metropolitana. Disse que cumpriria os quatro anos no Palácio 29 de Março até o fim. Mas, como afirmou Tancredo Neves, política é como nuvem. Ora está de um jeito,ora, de outro.

E ainda há o ex-senador Alvaro Dias (Podemos), que caminha para o fim do mandato no Congresso Nacional. Foi governador no período da redemocratização e, segundo dizem amigos mais chegados, não descarta encerrar a sua longa carreira política passando mais uma temporada no Palácio Iguaçu.

Acorrida está apenas começando.

(transcrito do Diário Indústria & Comércio, Curitiba, de 15.2.2021).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *