Patrimônio e Lava Jato

 

23/8/2018 = De 77 políticos que figuram como investigados na Lava Jato e se candidataram nas eleições 2018, 21 – pouco mais de um quarto – registraram redução do valor de seus bens em relação a eleições anteriores. Dados fornecidos pelos candidatos ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) mostram que, daquele total, oito informaram queda de mais da metade das cifras declaradas. Na outra ponta, 44 políticos declararam aumento de patrimônio – quase a metade apresentou valores nominais pelo menos 50% maiores. Em 12 casos, não houve variação. Para a Receita Federal, movimentações significativas no patrimônio podem ser indícios de irregularidades. Foram considerados apenas valores nominais. Segundo analistas, não é possível corrigir declarações de bens com base na inflação, pois a valorização ou desvalorização de um imóvel, por exemplo, não seguem a variação do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Um ano

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, anunciou que os trabalhos dos procuradores da Lava Jato foram prorrogados por mais um ano. A decisão vale até setembro de 2019.

Falsidade ideológica

Os advogados Modesto Carvalhosa e Eduardo Spinola entraram na Procuradoria-Geral Eleitoral com uma representação criminal contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na qual argumentam que houve falsidade ideológica eleitoral no ato de registro da candidatura do petista. É que Lula apresentou ao TSE quatro certidões criminais que não incluem a condenação dada pele juiz federal Sérgio Moro. Fez isso aproveitando-se do fato de ter domicílio eleitoral em São Paulo. Como sua condenação deu-se em Curitiba, nada apareceu.

Sem decisão

A maioria dos eleitores paranaenses ainda não decidiu em quem votar ao governo do Estado nas eleições de 7 de outubro. Segundo a pesquisa espontânea feita pelo Ibope, são 59% os indecisos. Outros 16% disseram que irão votar branco ou nulo. Dos que citaram nomes, 13% preferem Ratinho Júnior; 5% Cida Borghetti e 1% João Arruda e Dr. Rosinha. Os demais candidatos não foram citados espontaneamente.

Rejeitados

A governadora do Paraná, Cida Borghetti (PP), tem a maior rejeição: 19% não votariam nela de jeito nenhum. Dr. Rosinha (PT) tem 16% de rejeição; Ratinho Júnior (PSC) e João Arruda(MDB) são rejeitados por 12% dos eleitores. A menor rejeição é do candidato do PSL, Ogier Buchi, e do PSTU, Ivan Bernardo (5%). 8% poderiam votar em todos os candidatos.

Entre aspas

“O resultado da pesquisa, é um elogio a nossa candidatura. São os números dos quatro anos de campanha dos adversários, contra a recente candidatura própria do MDB”. De João Arruda, deputado federal pelo PMDB e candidato ao Governo do Paraná, ao comentar a pesquisa Ibope em que aparece com 5% das intenções de voto.

Pergunta do dia

Quem declara que votaria em Lula para presidente da República é a favor do esquema de corrupção que tomou conta do Brasil?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *