Lula e Bolsonaro

 

11/10/2017 – O ex-presidente Lula lidera a disputa presidencial em Minas Gerais com 25.9% dos votos. Em segundo lugar aparece o deputado federal Jair Bolsonaro, com 18,2%. A pesquisa, que ouviu 1.507 eleitores mineiros, é do Instituto Paraná Pesquisas e foi realizada de 30 de setembro a 5 de outubro. João Doria é o terceiro, com 11,2%. A ex-senadora Marina Silva aparece com 8,9%, depois o ex-ministro Joaquim Barbosa, com 8,5%, e o ex-deputado Ciro Gomes, com 5,5%. Alvaro Dias tem 3% dos votos e o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, 1%. Não sabem em quem votar, 5%; nenhum dos candidatos, 12,8%. Geraldo Alckmin tem 7,9% num cenário sem Doria.

Requião versus Ratinho

O senador Roberto Requião (PMDB-PR), que talvez seja candidato ao governo do Paraná em 2018, escolheu o deputado estadual Ratinho Junior (PSD), também candidato, como novo alvo de suas críticas. É que Ratinho ocupa atualmente o segundo lugar nas pesquisas, atrás apenas do ex-senador Osmar Dias (PDT), e pode frustrar o sonho requianista de voltar pela quarta vez ao Palácio Iguaçu. Requião, se candidato for, pretende disputar o segundo turno com Osmar Dias.

Reunião boba

Hoje, véspera de feriado, se reúnem em Brasília representações de partidos políticos, a CUT, sindicatos, parlamentares da esquerda, intelectuais e artistas. Pretendem, segundo a pauta, a “anulação do impeachment da presidente Dilma e seu retorno à presidência da República, para a qual foi eleita por mais de 54,5 milhões de votos, com mandato até 31 de dezembro de 2018”. Assunto por demais vencido.

Lobby forte

Atenção proprietários de veículos: um projeto de lei altera a Lei 9.503, de 1997, para tornar novamente obrigatório o extintor de incêndio, com carga de pó ABC, nos carros brasileiros.  O equipamento passou a ser de uso facultativo para os automóveis, utilitários, camionetas, caminhonetes e triciclos de cabine fechada após a Resolução Nº 556, de 17 de setembro de 2015, do Conselho Nacional de Trânsito (Contran). Pelo visto, lobby dos fabricantes de extintores não parou de trabalhar.

Assunto resolvido

Discutir se os contratos de pedágio no Paraná devem ou não ser prorrogados é uma questão que já está sepultada. Desde a medida provisória 752 o Paraná ficou obrigado a licitar novamente todos os atuais contratos de concessão, que vencem no fim de 2021. A declaração foi feita pelo deputado federal Sérgio de Souza (PMDB-PR), relator de medida provisória que definiu o assunto. Segundo o parlamentar,  “não cabe prorrogação no Anel de Integração por não constar o procedimento no contrato original, feito entre o governo e as concessionárias”.

Entre aspas

“O Doria está correndo uma maratona como se fosse uma corrida de cem metros. Pode não ter fôlego para chegar ao final”. De Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados, sobre a pré-candidatura do prefeito de São Paulo, João Doria, à Presidência da República.

Pergunta do dia

Qual é a verdadeira situação financeiro do Governo do Estado do Paraná? Uma hora o governador Beto Richa anuncia que o Estado é uma ilha no Brasil, com tudo resolvido, sem crise e com dinheiro em caixa. Outra hora, Richa congela o salário do funcionalismo por causa da crise. Vá entender…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>